13

The Last Brokeback:

terça-feira, 10 de janeiro de 2012.
      Primeiramente quero agadecer a todos os motoristas que passaram por mim e me negaram carona. Eu estava ambaixo da chuva, já tinha andado mais de dez km e naquele momento me senti muito feliz por ninguém ter me ajudado. Eu amo vocês tah? E vou torcer para que morram num acidente!
      Mas qual o motivo de toda essa loucura mesmo? Já ia me esquecendo... adivinha? O cowboy, mais uma vez o bendito cowboy.
      Não fui correndo até a fazendinha dele porque estava super apaixonado e morrendo de saudades, isso eu quero deixar bem claro. Fui apenas honesto comigo mesmo quando decidi procurar por notícias. Sei lá, precisava ao menos saber se ele ainda estava vivo, como estava sua família, enfim, eu queria sair do marasmo da minha pekena cidade para me aventurar um pouco naquela multidão rural.
     E qual foi o resultado? Como sempre, o Brian se fudeu... Não daquele jeito que eu gosto, com algo bem grande dentro de mim saca? Foi uma fodida diferente - doeu mais e eu fiquei molhado demais também (isso explica a história da chuva, da carona e blá blá blá)
     Acabei confessando para as irmãs dele (que tem o cabelo de bombril) que eu gosto de garotos, que estou namorando um cara, que vou para Nárnia com ele (mentirinha) e que não aguentava mais negar toda essa coisa de ser veado. Mas porque?
    Não porque elas são pessoas importantes demais para mim a ponto de me sentir pressionado e acovardado diante de um segredo mas... Porque o irmão delas parou de trepar comigo. Eu só queria me sentir corajoso e assumido, mesmo sabendo que isso não iria mudar nada, se é que me entendem.
    Alá pode rasgar minha pele e me cozinhar no mármore do inferno, sei que isso foi um puta defeito da minha parte, mas eu não suportei saber que o cowboy conseguiu deixar de lado tudo o que sentia por mim para simplesmente "namorar uma mulher". Qual é pow???
     Eu deveria me sentir como a princesinha magoada que perdeu o seu prícipe encantado? Claro que não, mas juro que tentei... No momento tudo o que me veio em mente foi fazer uma cópia do livro que escrevi sobre ele e mandar de presente para a tal mulherzinha...
     Mas para que? Dar uma de malvado e destruir a relação dos dois por culpa de um tolo ciúmes? (ou revolta, foda-se) Logo eu que jurei amar aquele menino e respeitar suas decisões acima de qualquer hipótese?
     Quase perdi as estribeiras enquanto estava naquela fazenda, mas a razão falou mais alto. Com custo consegui me controlar e não dizer a todo mundo que o cowboy, a tempos atrás, era meu namorado.
Fazer isso me igualaria a uma bixinha qualquer que desce do salto e faz um barraco por não aceitar que o bofe tenha a trocado por outra. Eu sou homem porra, e para quê isso?
    A viagem teve um impacto forte, no fim das contas acabei esculachando geral. Um vibrador na consciência, pra variar... Marquei uma consulta com o psiquiátra da cidade vizinha e fui embora a pé. Só não foi trágico porque consegui cair na real.
    Durante o sofrido percurso, rejeitado por motoristas idiotas, consegui pensar melhor no assunto. Concluí que se o cowboy deixou seus 15 minutos de gay para fazer com uma mulher o que aprendeu usando meu corpo, tudo bem. A vida é dele e ele que se fôda pra lá. Porque não deixá-lo em paz, porque não me deixar em paz? Porque me torturar? Dane-se afinal.
   Eu ainda estou aqui, mais forte do que antes, pronto para outra e se eu não tiver mais que ver este cowboy de novo, paciência né?... O fato é que preciso me arriscar demais, sentir a situação de frente, me esborrachar no chão para assim aprender alguma coisa.
   E hoje eu aprendi... Ninguém precisa saber o que alguém, por motivos de aceitação, precisa esconder. Nem bater de frente com a sexualidade de um cara, julgando-a e inventando hipóteses agoístas em cima disso. Se ele desitiu de mim, deve ter tido seus motivos. Se fez o que quis ou se fez o que deveria, isso não se refere mais a mim. Que cada um pague pelos seus atos... A vida ensina, o mundo dá voltas, porque ficar parado, tentando se equilibrar sobre algo que já desmoronou? Acorda né Brian....
 
Mente Pervertida © Copyright | Template By Mundo Blogger |
Subir